Journal article Open Access

A INFLUÊNCIA DA EXPERIÊNCIA EM TREINO RESISTIDO NA REALIZAÇÃO DO TESTE DE UMA REPETIÇÃO MÁXIMA (1RM) PARA OS ATLETAS DE FISICULTURISMO

NASCIMENTO, Marcelo Victor Rodrigues

Este trabalho teve por objetivo analisar criticamente as informações disponíveis na literatura especializada referentes à influência da experiência em treino resistido na realização do Teste de Uma Repetição Máxima (1RM), bem como, relacionar tal dado com o programa de treinamento dos atletas de fisiculturismo. Após a introdução, foram apresentados os seguintes tópicos: um protocolo destinado à realização do Teste de Uma Repetição Máxima (1RM); três pesquisas científicas recentes que tratam do assunto; e uma reflexão crítica da literatura afim, relacionando-a com o fisiculturismo. Conclui-se que, em virtude dos fatores apresentados, a literatura define o Teste de Percepção Subjetiva de Esforço (PSE) como o ideal para os programas com exercícios resistidos para praticantes de musculação (iniciantes e frequentadores de academias) e o Teste de 1RM para os atletas, especialmente as modalidades que possuam o trabalho de força como a "espinha dorsal", como é o caso do fisiculturismo.

Files (200.1 kB)
Name Size
Art00058.pdf
md5:30e52cfa86048d0643aae794fa009d62
200.1 kB Download
  • Barbanti, V.J. (2001). Treinamento Físico – Bases Científicas. São Paulo: Editora CLR Balieiro

  • Benton, M.J., Raab, S., Waggener, G.T. (2013). Efeito do status de treinamento na confiabilidade de um teste máximo de repetição em mulheres. Jornal de Força e Pesquisa de Condicionamento, 27(7). 1885–1890. Recuperado de https://journals.lww.com/nsca-jscr/Fulltext/2013/07000/Effect _of_Training_Status_on_ Reliability_of_One.17.aspx. doi: 10.1519 / JSC.0b013e3182752d4a

  • Castelo, J.; Barreto, H.; Alves, F.; Mil-Homens, P.; Carvalho, J.; Vieira, J. (1998). Metodologia do Treino Desportivo. Lisboa: Edições FMH-UTL.

  • Cordeiro, A.M.; Oliveira, G.M; Renteria, J.M.; Guimarães, C.A. (2007). Revisão sistemática: uma revisão narrativa. Rev. Col. Bras. Cir., Rio de Janeiro , v. 34, n. 6, p. 428-431. Disponível em: http://www.scielo.br/ scielo.php? script=sci_arttext&pid=S0100-69912007000600012&lng=pt&nrm= iso. Acesso em: 07 jul. 2020.

  • Fry, A.C. (2004). O papel da intensidade do exercício resistido nas adaptações das fibras musculares. Medicina Esportiva, 34(10). 663-79. https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/15335243. Doi:10.2165 / 00007256-200434100- 00004.

  • Hampson, D.B., Gibson, A.S.C, Lambert, M.I., Noakes, T.D. (2001). A influência das pistas sensoriais na percepção do esforço durante o exercício e na regulação central do desempenho no exercício. Revista de Medicina Esportiva, 31(13). 935-952. Recuperado de https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/11708402. Doi: 10.2165 / 00007256-200131130-00004.

  • Kraemer, W.J., Fleck, S.J. (2009). Otimizando o treinamento de força: programas de periodização não-linear. Barueri: Manole.

  • Kravitz, L., Akalan, C., Nowicki, K., Kinzey, S.J. (2003). Previsão de 1 repetição máxima em levantadores de nível médio. Jornal de Pesquisa de Força e Condicionamento, 17(1). 167-172. Recuperado de https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/12580673.

  • Moritani T., Vries H.A. (1979). Fatores neuronais versus hipertrofia no tempo de ganho de força muscular. Jornal Americano de Medicina Física, 58(3). 115- 130. Recuperado de https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/453338.

  • Nascimento, M.A., Ribeiro, A.S., Campos, Padilha C.S., Silva.R.P, MayhewJ.L., M.G.A. Filho, Cyrino, E.S. (2017). Confiabilidade e menor diferença valiosa em testes de 1RM de acordo com a experiência anterior em treinamento de resistência em mulheres jovens. Revista Biologia do Esporte, 34(3). 279-285. Recuperado de file:///C:/Users/Nathalia/Downloads/ BS_Art_29973-10%20(1).pdf.

  • Ritti-Dias, R.M., Avelar, A., Salvador, E.P., Cyrino, E.S. (2011). Influência da Experiência Anterior no Treinamento de Resistência na Confiabilidade do Teste Máximo de Repetição de Um. Jornal de Força e Pesquisa de Condicionamento, 25(5). 1418-1422. Recuperado de https://journals.lww. com/nsca-jscr/pages/articleviewer.aspx?year=2011&issue=05000&article =00033&type=fulltext. doi: 10.1519 / JSC.0b013e3181d67c4b.

  • Santarem, J.M. (2012). Musculação em todas as idades: comece a praticar antes que o seu médico recomende. Barueri: Manole. Sousa, A.C., Marinho, D.A., Gil, M.H., Izquierdo, M., Rodríguez-Rosell, D., Neiva, H.P., Marques, M.C. (2018).

  • Sousa AC, Marinho DA, Gil MH, et al. Concurrent Training Followed by Detraining: Does the Resistance Training Intensity Matter?.J Strength Cond Res. 2018;32(3):632-642. doi:10.1519/JSC.0000000000002237 [14] Uchida, M.C.; Charro, M.A.; Bacurau, R.F.P.; Navarro, F.; Pontes, F.l.Jr. (2006). Manual de Musculação. São Paulo: Editora Phorte.

28
10
views
downloads
All versions This version
Views 2828
Downloads 1010
Data volume 2.0 MB2.0 MB
Unique views 2222
Unique downloads 1010

Share

Cite as