Journal article Open Access

A PEC 32/2020: O PRINCÍPIO DA IMPESSOALIDADE SOB FLANCO ATAQUE DA IDEOLOGIA NEOLIBERAL

Teixeira, Albano Busato; Meotti, Francieli Freitas


Dublin Core Export

<?xml version='1.0' encoding='utf-8'?>
<oai_dc:dc xmlns:dc="http://purl.org/dc/elements/1.1/" xmlns:oai_dc="http://www.openarchives.org/OAI/2.0/oai_dc/" xmlns:xsi="http://www.w3.org/2001/XMLSchema-instance" xsi:schemaLocation="http://www.openarchives.org/OAI/2.0/oai_dc/ http://www.openarchives.org/OAI/2.0/oai_dc.xsd">
  <dc:creator>Teixeira, Albano Busato</dc:creator>
  <dc:creator>Meotti, Francieli Freitas</dc:creator>
  <dc:date>2021-10-15</dc:date>
  <dc:description>A PEC 32/2020: O PRINCÍPIO DA IMPESSOALIDADE SOB FLANCO ATAQUE DA IDEOLOGIA NEOLIBERAL

Autores


	Albano Busato Teixeira
	UNISC/DOUTORANDO
	Francieli Freitas Meotti


Palavras-chave: 

PEC 32/2020, Reforma administrativa, Princípio da impessoalidade, neoliberalismo, estabilidade

Resumo

O presente resumo tem como objetivo analisar se o princípio da impessoalidade sofrerá violação com eventual aprovação da PEC 32/2020. O foco da pesquisa será demonstrar a importância da manutenção da estabilidade do servidor público como garantia do princípio da impessoalidade previsto no art. 37 da Constituição Federal do Brasil. Tal princípio, em apertada síntese, preconiza que a prestação administrativa deve ser prestada ao administrado sem qualquer preconceito ou privilégio. O Brasil sofreu diversas reformas administrativas, sempre pautadas pela busca da eficiência, passando pela fase patrimonialista, burocrática e gerencial, esta última promovida na década de noventa, motivada por uma onda neoliberal que contaminou grande parte do globo. Uma das principais ferramentas para superar a ideia patrimonialista de Administração Pública, trazida ainda na reforma burocrática, foi a garantia de estabilidade ao servidor público concursado, que tem uma função tríplice: a) manutenção de políticas públicas, b) salvaguarda de interesses de mandantes de turno, e c) contrapartida que o regime institucional oferece à vista da periclitante lâmina posta à disposição do Poder Público sob a forma de poderio unilateral de alteração das regras do regime. O texto previsto na PEC 32/2020 traz diversas mudanças no regime dos servidores públicos, dificultando demasiadamente a obtenção da garantia da estabilidade, causando grave retrocesso, revivendo traços patrimonialistas e dificultando a observância ao princípio da impessoalidade. Diante do que será apresentado, o problema que conduz a presente pesquisa é: as diretrizes previstas na PEC/32, ao atacar a estabilidade do servidor público, fere o princípio da impessoalidade? A hipótese é que a precarização e o excesso de subjetivismo previsto na proposta trazem, significativo retrocesso que flertam com o patrimonialismo, ferindo diretamente o princípio da impessoalidade. O método de pesquisa será o dialético e a técnica de pesquisa será a bibliográfica, focada na legislação e doutrina.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

BRESSER-PREIRA, Luiz Carlos. Uma reforma gerencial da administração pública no Brasil. In: Revista do Serviço Público, 49(1), janeiro 1998: 5-42. Brasília: Editora da UNB e ENAP, 1998.

BUCCI, Maria Paula Dallari. Direito Administrativo e políticas públicas. São Paulo: Saraiva, 2006.

FREITAS, Juarez. Carreiras exclusivas de Estado e relações administrativas mais que Estado do que de governo: in Revista da Faculdade de Direito da UFRGS - nº 25 – 121 – 147. Porto Alegre: UFRGS, 2005.

LEAL, Victor Nunes. Coronelismo, enxada e voto: o município e o regime representativo no Brasil. São Paulo: Editora Schwarcz, 2012.

NOHARA, Irene Patrícia. Reforma administrativa e burocrática: impacto da eficiência na configuração do direito administrativo brasileiro. São Paulo: Atlas, 2012.

RECK, Janriê Rodrigues; BITENCOURT, Caroline Müller. Direito Administrativo e o diagnóstico de seu tempo no Brasil. A&amp;C – Revista de Direito Administrativo &amp; Constitucional, Belo Horizonte, ano 19, n. 75, p. 241-264, jan./mar. 2019.

SCHIER, Adriana da Costa Ricardo. Fomento: administração pública, direitos fundamentais e desenvolvimento. Curitiba: Íthala, 2019.

Como citar na referência:

TEIXEIRA, A. B.; MEOTTI, F. F. A PEC 32/2020: O PRINCÍPIO DA IMPESSOALIDADE SOB FLANCO ATAQUE DA IDEOLOGIA NEOLIBERAL. In: SAIKALI, Lucas Bossoni; ANDRADE, Giulia De Rossi; DOTTA, Alexandre Godoy. (Orgs.). Direito Administrativo e Inovação: Crise e Solução - Caderno dos Resumos das Comunicações Científicas do XXXV Congresso Brasileiro de Direito Administrativo. ISBN 9786599527821, Curitiba: GRD Editora, 2021., p. 23–24, 2021. Disponível em: https://journal.nuped.com.br/index.php/congressoibda/article/view/teixeiraetal2021. Acesso em: 14 out. 2021.</dc:description>
  <dc:identifier>https://zenodo.org/record/5571319</dc:identifier>
  <dc:identifier>10.5281/zenodo.5571319</dc:identifier>
  <dc:identifier>oai:zenodo.org:5571319</dc:identifier>
  <dc:publisher>SAIKALI, Lucas Bossoni; ANDRADE, Giulia De Rossi; DOTTA, Alexandre Godoy. (Orgs.).</dc:publisher>
  <dc:relation>doi:10.5281/zenodo.5571318</dc:relation>
  <dc:rights>info:eu-repo/semantics/openAccess</dc:rights>
  <dc:rights>https://creativecommons.org/licenses/by/4.0/legalcode</dc:rights>
  <dc:title>A PEC 32/2020: O PRINCÍPIO DA IMPESSOALIDADE SOB FLANCO ATAQUE DA IDEOLOGIA NEOLIBERAL</dc:title>
  <dc:type>info:eu-repo/semantics/article</dc:type>
  <dc:type>publication-article</dc:type>
</oai_dc:dc>
55
48
views
downloads
All versions This version
Views 5555
Downloads 4848
Data volume 3.5 MB3.5 MB
Unique views 4646
Unique downloads 3737

Share

Cite as