Journal article Open Access

Rainha Ginga Mbandi: elo identitário entre Angola e Brasil

Silva, Sílvio Geraldo Ferreira da


Dublin Core Export

<?xml version='1.0' encoding='utf-8'?>
<oai_dc:dc xmlns:dc="http://purl.org/dc/elements/1.1/" xmlns:oai_dc="http://www.openarchives.org/OAI/2.0/oai_dc/" xmlns:xsi="http://www.w3.org/2001/XMLSchema-instance" xsi:schemaLocation="http://www.openarchives.org/OAI/2.0/oai_dc/ http://www.openarchives.org/OAI/2.0/oai_dc.xsd">
  <dc:creator>Silva, Sílvio Geraldo Ferreira da</dc:creator>
  <dc:date>2020-05-19</dc:date>
  <dc:description>Ginga Mbandi Kakombe foi a mais notável rainha angolana. Esta mulher de personalidade ímpar governou os reinos do Ndongo e da Matamba durante o período em que os seus territórios estavam sendo invadidos pelas tropas portuguesas, entre 1623 e 1663. Naquele contexto complexo e difícil, a rainha guerreira precisou se valer de diferentes artimanhas para continuar no poder e manter a soberania de sua pátria. Ela foi uma monarca de protagonismo relevante durante o século XVII, ficando sua figura marcada na memória dos ambundu e de todos os povos por onde seu nome heróico se fez presente. No Brasil, a Rainha Ginga tem um lugar de destaque nas manifestações culturais afrobrasileiras, pois os seus súditos, que para cá vieram, fizeram questão de trazer na bagagem cultural a reverência à soberana que enfrentou os portugueses e honrou o seu povo. Neste trabalho, buscou-se iluminar a figura da Rainha Ginga através das suas representações na história e na literatura, portanto, o método utilizado foi a literatura comparada. Justificamos esta pesquisa pela necessidade de mostrar que os angolanos foram protagonistas efetivos de sua própria história e auxiliaram também a construir o Brasil que conhecemos hoje. O objetivo desta pesquisa, portanto, é apresentar a Rainha Ginga Mbandi Kakombe como elemento identitário e de convergência para Angola e Brasil, demostrando que as duas nações são irmãs.</dc:description>
  <dc:identifier>https://zenodo.org/record/3833751</dc:identifier>
  <dc:identifier>10.5281/zenodo.3833751</dc:identifier>
  <dc:identifier>oai:zenodo.org:3833751</dc:identifier>
  <dc:language>por</dc:language>
  <dc:relation>doi:10.5281/zenodo.3833750</dc:relation>
  <dc:relation>url:https://zenodo.org/communities/racangola</dc:relation>
  <dc:rights>info:eu-repo/semantics/openAccess</dc:rights>
  <dc:rights>https://creativecommons.org/licenses/by/4.0/legalcode</dc:rights>
  <dc:source>RAC: revista angolana de ciências 2(1) 130-147</dc:source>
  <dc:subject>Rainha Ginga Mbandi; Angola; Brasil; Resistência; Identidade</dc:subject>
  <dc:title>Rainha Ginga Mbandi: elo identitário entre Angola e Brasil</dc:title>
  <dc:type>info:eu-repo/semantics/article</dc:type>
  <dc:type>publication-article</dc:type>
</oai_dc:dc>
51
22
views
downloads
All versions This version
Views 5151
Downloads 2222
Data volume 9.4 MB9.4 MB
Unique views 4444
Unique downloads 1919

Share

Cite as